Como a falta de gestão no pátio pode atrapalhar a operação logística

Otimizar processos para fazer mais com menos é um objetivo constante em todos os negócios, e no gerenciamento de armazém não é diferente. São muitos os desafios com que os operadores precisam lidar diariamente, como a frota de caminhões parados por muito tempo no pátio. A prática de utilizar caminhão no armazém, quando não possui um gerenciamento eficaz, pode custar muito caro ao transportador.

Há situações em que o caminhão fica parado por uma questão de estrutura, pois o cliente não tem espaço para descarregar. Isso resulta em pagamento adicional ao motorista, perda de tempo na reorganização da fila quando precisa priorizar um pedido ou, até mesmo, quando ocorre desentendimento entre funcionários e motoristas. Problemas de integração com um sistema de gerenciamento de armazém — para liberar documentos de expedição, como nota fiscal — também podem impedir a saída do caminhão, contribuindo para o transtorno.

Muitas vezes, o operador de logística até se desdobra para evitar este tipo de situação, mas, infelizmente, nem sempre os imprevistos podem ser controlados. Há uma grande dificuldade de identificar onde está o problema. E seguir acreditando que, na próxima vez vai dar certo, é contar com a sorte em um segmento delicado, não é mesmo?

Para que se consiga otimizar o pátio, são necessárias algumas funcionalidades básicas como ampla visibilidade das informações sobre os caminhões, motoristas e produtos, desde a chegada ao portão até sua saída. Assim, é possível promover um fluxo seguro e preciso da frota no pátio. No entanto, quando isso não acontece, existem consequências inevitáveis que precisarão ser enfrentadas:

1. Falta de visibilidade em tempo real

Não ter informação sobre a movimentação de todo o pátio prejudica muito a ação logística quando o assunto é manter a organização e evitar problemas.Ter a visibilidade das atividades que estão sendo exercidas, desde onde os caminhões estão estacionados, quanto tempo estão, até o número de reboques vazios disponíveis, é essencial para que a logística mantenha o controle no centro de distribuição. A comunicação em tempo real possibilita reações rápidas aos alertas de pátio e oferece a flexibilidade de trocar os caminhões para reduzir tempo na hora de reorganizar a fila de trabalho quando surgir a necessidade de priorizar um pedido. Assim, tanto o trabalho do operador, quanto dos motoristas, torna-se muito mais simplificado.

2. Falta de processamento simplificado

A falta de uma boa estratégia e recursos suficientes podem levar a ações desorganizadas dentro do centro de distribuição, como o congestionamento de doca e a produtividade ineficaz do trabalho. Um processo simplificado elimina esses problemas e melhora a coordenação de eventos no pátio, como embarque, carga, mão-de-obra e capacidade de doca no armazém. Assim, é possível planejar, executar e controlar as cargas.

3. Falta de velocidade nas operações

Manter a visibilidade em tempo real em locais de ativos e seu status operacional, incluindo tempos de permanência, é extremamente importante para a eficiência da operação logística. Muitos caminhões vêm com cargas que precisam ser descarregadas imediatamente ou dentro de um tempo específico. Se não houver o devido cuidado, o resultado pode ser o pagamento de encargos pela retenção.

A integração e a coordenação adequadas com os processos de depósito são necessárias para evitar essas cobranças no centro de distribuição.

4. Agendamento duplicado

Nenhum profissional de logística gosta de cometer erros como agendamento duplicado, mesmo quando ocorrem imprevistos e mudanças de última hora. No entanto, a falta de operações controladas por sistemas leva o departamento a cometer essas falhas de forma frequente, principalmente quando a demanda é grande. A funcionalidade de agendamento dinâmico pode resolver este problema, otimizando a alocação de docas e ajudando a priorização correta das cargas e descargas.

As melhorias na eficiência do armazém são comuns às empresas que implementam sistemas de gerenciamento mais avançados. A otimização de inventários na cadeia de suprimentos é impactada de forma direta pelo nível de eficiência no gerenciamento de centros de distribuição. E para se ter eficiência no gerenciamento de CDs é preciso otimizar os fluxos de inventário, não apenas dentro das quatro paredes do armazém, mas também nos processos de pátio e portaria.

Uma ferramenta de gestão de pátio auxilia no fornecimento de informações em tempo real e visibilidade completa de caminhões, carretas, motoristas e do inventário, desde o momento em que estão no CD (Centro de Distribuição) até o momento em que deixam o local, garantindo um fluxo adequado de entrada e saída de produtos. Juntamente com relatórios precisos, oferece suporte para que as ações tomadas nas transações de pátio sejam mais acertadas, otimizando assim o fluxo de materiais.

> Deixe seu comentário

Entre em contato
+55 47 3036 7800 (SC)
+55 11 3027 4197 (SP)
+56 2 2840 5916 (CHILE)
otimis@otimis.com

Newsletter

Gostaria de receber nossas novidades no seu email?